sexta-feira, maio 01, 2020

Absurdo


Ambos se chamavam de Francisco. Mas a distância entre eles é de séculos no tempo e de milhares de quilómetros na geografia.
O Francisco Costa colheu o indulto da sua condenação à morte do rei D.João II no século XV (1487), enquanto o Francisco Sabalo, condenado pelo cancro, morreu no século XXI.
O primeiro não entrou no “Guinness” por que ainda não existia, embora tivesse sido pai de 299 filhos, enquanto o segundo está nele referenciado com o record de 285.
Francisco Costa era um devasso,  um autêntico barrasco: foi acusado e, por isso, condenado à morte, por ter fornicado com 29 afilhadas, 5 irmãs, 9 comadres, 7 amas,2 escravas, uma tia e própria mãe, das quais teve os tais 299 filhos.
E vejam: o indulto, segundo despacho real, resultou da necessidade de povoamento da região da Beira Alta.
Francisco Sabalo Pedro, nascido na etnia mucubal, polígamo, povoou a região do Namibe em Angola com 243 filhos de 42 mulheres e daqueles com 250 netos e 53 bisnetos, o que perfaz o total de 538 descendentes.
O Francisco Costa, branco, foi prior de Trancoso, enquanto Francisco Sabalo Pedro, negro, foi soba da ilha de Mungongo em Moçamedes.
Não tenham duvidas: estas excentricidades constam do arquivo da Torre do Tombo( armário 5, maço 7) e do arquivo do Governo Provincial de Moçamedes.

Mas o que é o absurdo ?. Será uma ideia ou uma prática contrária à nossa ?

segunda-feira, janeiro 06, 2020

Justificações há muitas...

Sou um grande preguiçoso. E estou sempre a arranjar desculpas para essa preguiça. Não escrevo porque não sei escrever. Pronto. Mas vou procurar corrigir esse defeito. Preciso de muita coragem.

O tiro saiu pela culatra

Com o novo sistema operativo não consigo ler os ficheiros do anterior PC. É um fracasso total. Mas como não desisto à primeira, vou lutar até conseguir resolver este contratempo. Bom ano 20 20.

terça-feira, dezembro 17, 2019

Mudança

Mudei de computador. Comprei um mais poderoso e mais moderno. Mas estou cansado de tanto trabalho que me deu a sua configuração. Vamos ver  se com este trabalho mais. Bom Natal para todos.

segunda-feira, novembro 04, 2019

Neologismos...


Há dias, andava preocupado porque não entendia o significado de muitos termos ou de palavras que agora se usam em vários meios e ocasiões, tais como showrunner, blockbuster, streaming, loby, bullying. Considerei-me analfabeto irrecuperável até pela minha idade avançada. De repente, fiquei tranquilo, porque ouvi na TV. português do mais puro, vernáculo: foi quando um tipo qualquer disse que se borrifava para todos, e para que fosse bem ouvido repetiu ameaçadoramente a frase em tom mais alto. Azar dele: todos agora se borrifam para ele que nada nos borrifos. Como dizia um juiz: isto é normal no meio futebolístico, porque isso de dizer que um gajo é  filho de um padre não é insulto, mas linguagem a condizer com o meio.

quarta-feira, outubro 30, 2019

Aplausos.


Discutiu-se, hoje, no parlamento, o programa do novo governo, dirigido pelo socialista António Costa. Não vi esta sessão, pois estava a viajar, mas, quando liguei o rádio do carro, estava precisamente a acabar a sua intervenção a deputada eleita pelo livre. Gostei da forma como foi acolhida e respeitada.

Que chatice ...


Falo muito pouco; ou melhor: não tenho com quem falar a maior parte do tempo. Porque não sou sociável?  Não! Porque sou velho. Vou desaprendendo umas coisas e aprendendo outras. As novidades no foro económico são mais que muitas: assessoria migratória! Mas o que é isto?
Na idade escolar, quando dizia que algo era chato logo era emendado pela mina mãe ou pela minha professora, que essa palavra era indecente, pelo que deveria ser dito aborrecido. Desconhecia o chato, que os havia, como hoje a maior parte, senão toda a juventude, desconhece. O ddt. Insecticidade que apareceu após a 2ª grande guerra mundial (1939-1945) tê-los-á eliminado e já não chateiam ninguém. Os aborrecidos agora são outros.Tudo isto para dizer que não consigo apreender os novos termos, porque não nos explicam o seu significado como antigamente.

Absurdo

A mbos se chamavam de Francisco. Mas a distância entre eles é de séculos no tempo e de milhares de quilómetros na geografia. O Francisco...